Deprecated: wp_make_content_images_responsive está obsoleto desde a versão 5.5.0! Use wp_filter_content_tags() em seu lugar. in /home/storage/d/64/ee/depeitoabertocancer/public_html/wp-includes/functions.php on line 4773

Deprecated: wp_make_content_images_responsive está obsoleto desde a versão 5.5.0! Use wp_filter_content_tags() em seu lugar. in /home/storage/d/64/ee/depeitoabertocancer/public_html/wp-includes/functions.php on line 4773

Deprecated: wp_make_content_images_responsive está obsoleto desde a versão 5.5.0! Use wp_filter_content_tags() em seu lugar. in /home/storage/d/64/ee/depeitoabertocancer/public_html/wp-includes/functions.php on line 4773

Deprecated: wp_make_content_images_responsive está obsoleto desde a versão 5.5.0! Use wp_filter_content_tags() em seu lugar. in /home/storage/d/64/ee/depeitoabertocancer/public_html/wp-includes/functions.php on line 4773

O PROJETO

De Peito Aberto é um projeto sociocultural – composto de uma exposição fotográfica e palestras interativas.

Conta a história de luta de mais de 70 mulheres do Brasil, Estados Unidos e Europa, entre 18 e 70 anos, que enfrentaram ou enfrentam o câncer de mama – o de maior incidência entre as mulheres e que afeta os principais símbolos femininos: seios, cabelos, fertilidade e libido.

A exposição fotográfica destaca cada fase do enfrentamento da doença: a descoberta, o processo, o apoio e a superação.

É um projeto único no mundo pela abordagem artística e humanística que, a partir da vivência das pacientes, familiares e apoiadores, e dos profissionais de saúde, realça como a abordagem humanista pode transformar a maneira de lidar com a doença e o próprio resultado do tratamento.

POR TRÁS DAS LENTES, DENTRO DA ALMA

Muito além do processo jornalístico tradicional, o projeto “De Peito Aberto” trouxe muitas surpresas tanto para os autores como para quem participa dele. Os ensaios fotográficos, em particular, se transformaram em oportunidades para que as mulheres e homens retratados pudessem reviver e, na maioria das vezes, dar um novo significado às emoções que experimentaram ao enfrentar a doença. Aprendemos, ao longo do percurso, que os ensaios fotográficos provocavam catarses e, por isso, tiveram um papel curativo.

“As pessoas se abriam e revelam suas almas durante as fotos”, conta Hugo Lenzi. “Uma ideia linda, um tema difícil. Como fotografar mulheres que receberam um diagnóstico terrível, que viveram o medo da morte, que travam uma batalha cruel com cicatrizes profundas – físicas e emocionais – sem criar cenas chocantes? Como mostrar força e esperança sem fugir da realidade, nem me limitar a registrar um retrato 3X4 ou cair na pieguice? Só descubro exatamente o que vou fotografar depois de saber são as pessoas, o que elas sentem. Daí criamos juntos a ideia, o movimento, a expressão”, revela Hugo que continua: “Logo em seguida a tensão inicial criamos uma ligação forte que, aos poucos, elimina qualquer medo ou puder. A vontade dessas pessoas de mostrar suas histórias era tanta que elas ficavam imediatamente iluminadas. Para além de qualquer preocupação estética, elas se revelavam por inteiro, mais bonitas a cada clique”. Foram oportunidades para que recuperassem a autoestima e encontrassem um significado maior no desafio de enfrentar a doença.
Durante os ensaios elas lembram de detalhes íntimos e marcantes que não tinham contado para ninguém. “Passamos a fazer as entrevistas durante as sessões fotográficas, porque nesse momento mágico elas contavam mais do que numa entrevista. Ela tomavam contato com sentimentos e emoções que estavam escondidas, até para elas mesmas”, completa Vera Golik.

OS AUTORES

VERA GOLIK

Jornalista, escritora, palestrante, Vera trabalhou para as revistas Nova, Vogue, Elle entre várias outras publicações voltadas para o universo feminino, tendo sua carreira profissional intimamente ligada à beleza, à saúde, ao bem-estar e à autoestima da mulher. Atualmente, é sócia-diretora da empresa VH Produções, Diretora-presidente do IDVH – Instituto de Desenvolvimento e Valorização Humana editora e diretora de seu próprio site, o Vera Bellezza. Atua voluntariamente como Conselheira do Conselho Estadual da Condição Feminina de São Paulo e, em 2011, foi nomeada pela American Cancer Society como Embaixadora Global para o Câncer no Brasil em função da repercussão do Projeto De Peito Aberto.

Autora dos Livros:
– De Peito Aberto, a autoestima da mulher com câncer de mama, uma experiência humanista (2010, Editora Alaúde).
– Corpo de Mulher — O Prazer de Conhecer (2000, Editora Terra Virgem).
– Tudo o que você precisa saber sobre CELULITE para ficar de bem com o seu corpo (1995 e 2º Edição em 2012, Editora SENAC).
– Coleção Cabelos & Beleza (1996, Editora Nova Cultural).
– A Descoberta da Beleza (1992, Livros Abril).

Prêmios:
– Medalha Ruth Cardoso pelo Conselho da Condição Feminina de São Paulo (2010).
– Melhor Editora de Beleza do Brasil, Phytoervas Fashion Awards (1998).
– Prêmio Abril de Jornalismo (1990 e 2001).

HUGO LENZI

Sociólogo, fotógrafo e palestrante, Hugo fotografou para as principais revistas brasileiras, como Playboy, Status, Vogue, Moda Brasil, Claudia, Claudia Moda, Nova, Elle e IstoÉ. Também trabalhou para agências internacionais de notícias, inúmeras agências de publicidade e grandes clientes. Atualmente, é sócio-diretor da empresa VH Produções que tem como foco principal desenvolver projetos de comunicação, fotográficos e socioculturais. Ministra palestras sobre Direitos Humanos, Autoestima e Participação Social e Política, trabalhando com apoio de diversas entidades como: OAB-SP, Conselho da Condição Feminina de SP, Conselho da Condição do Negro de SP, ONU Mulheres. Consulado Geral dos Estados Unidos, Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, Ministérios, Governos estaduais e municipais, legislativos, entre outros.

Mostras e exposições:
– De Peito Aberto, na sede da ONU, NY, e em diversas cidades em todo o Brasil e no exterior (2006 até os dias atuais).
– Talentos da Fotografia, na Bienal de São Paulo (2003).
– Corpo de Mulher, o prazer de conhecer – MAM-SP (2000).
– Mostra dos trabalhos premiados da ABIGRAF (1996).
– O Brasil Vê a África, para o Itamaraty/CACEX, nos países da África Ocidental (1979 e 1980).

Livros:
– De Peito Aberto, a autoestima da mulher com câncer de mama, uma experiência humanista (2010, Editora Alaúde).
– Corpo de Mulher — O Prazer de Conhecer (2000, Editora Terra Virgem).

Prêmio:
– Prêmio de fotografia da ABIGRAF (1996).